SESC apresenta exposição “Culturas Recortadas” no Calenarte


publicidade

Evento dá prosseguimento à difusão das artes plásticas no Acre

A exposição é do artista plástico Claudeney Alves
A exposição é do artista plástico Claudeney Alves

O Serviço Social do Comercio – Sesc realiza mais uma exposição do projeto Calenarte 2014. A exposição do artista plástico Claudeney Alves, “Culturas Recortadas”, ficando aberta para o público até 30 de dezembro.

A exposição dá prosseguimento à difusão das artes plásticas no Acre, com suas ações de apoio aqueles que têm a arte como oficio e em possibilitar o acesso do publico a programas educativos através do projeto Calenarte.

O artista

Claudeney Alves de Souza, artista plástico autodidata, nascido em Tarauacá, veio para Rio Branco ainda muito pequeno. Cresceu no Bairro Preventório e nos arredores da estrada da Sobral. Apaixonado por histórias em quadrinho, sempre demonstrou habilidade com o desenho desde a infância. Seu primeiro contato com o graffite ocorreu em 2001 em uma oficina realizada no Espaço Cultural Tucumã. Desde então Claudeney sempre esteve envolvido em movimentos artísticos alternativos, sendo assim um dos percursores do movimento da street art no Acre.

Desde 2011 vários painéis do artista podem ser vistos espalhados pelos bairros da cidade de Rio Branco. Claudeney não pode ser rotulado unicamente como graffiteiro ou artista plástico, uma vez que atua em diversos tipos de arte como cenários, figurinos, esculturas, roupas, peças decorativas e utilitárias e outras engenhocas.

A exposição

A exposição Culturas Recortadas é fruto de uma intensa pesquisa de imagens realizada pelo artista Claudeney Alves nos últimos quatro anos. Neste período o artista observou as culturas indígena e africana e suas manifestações populares, religiosas e culturais.

Ao utilizar ferramentas como mãos, papel, madeira, estilete, cola e algumas cores, a exposição conta histórias que retratam o cotidiano e as várias manifestações destas culturas através de recortes capazes de produzir sensações visuais inusitadas e jamais vistas no Acre.

Deixe uma resposta