Setor varejista acreano respondeu por 55% da receita em 2018

A atividade comercial chegou a arrecadar R$ 6,5 bilhões em receita bruta de revendas em 2018, segundo a Pesquisa Anual do Comércio divulgada recentemente, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado representou um crescimento de 7,5%, em comparação com o ano anterior. O comércio de veículos e peças, com alta de 9,6%, seguido pelo comércio varejista (8,9%) e atacado (4,6%) em relação a 2017, foram os setores que registraram um crescimento da receita.

O levantamento do IBGE apontou que o Acre, das 18.649 pessoas ocupadas, o comércio varejista foi é responsável por 73,5%, sendo que, aproximadamente 13.689 pessoas que atuam no setor. O comércio por atacado despontou em segundo lugar com 15,8%, enquanto o comércio de veículos fechou com 10,7% das pessoas ocupadas no estado, conforme a Pesquisa Anual do Comércio (PAC) dos principais resultados das empresas comerciais no país em 2018.

As atividades se dividem em três segmentos distintos: comércio de veículos, peças e motocicletas; comércio por atacado; e comércio varejista. O setor varejista pagou 70% dos gastos com salários, retiradas e outras remunerações (R$ 284.841), seguido pelo comércio por atacado (R$ 68.811), representando 17% dos gastos e por último o comércio de veículos, peças e motocicletas (R$ 53.212), com 13% das despesas com salários em 2018, das 18.649 pessoas ocupadas no comércio do estado.

Estatística – A pesquisa do IBGE buscou retratar as características estruturais da atividade comercial no país, principalmente nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mas no Norte, os Estados do Amazonas e Pará foram responsáveis, conjuntamente, por 63,3% da receita bruta de revenda, embora o Amazonas tenha perdido 7,4% de participação regional na comparação com mesmo período de 2009, em contrapartida o Pará registrou um crescimento de 2,7%. O comércio varejista se manteve como principal responsável pela participação do estado no levantamento do IBGE, pois são 1.745 unidades locais, correspondendo a 78% da receita de revenda, que contribui para esse segmento. (Com informações da Assessoria do IBGE no Acre)