Sindmed-AC encontra falhas no hospital de Xapuri

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) reivindicará à Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) a contratação de médicos e a alteração do padrão das escalas da categoria para garantir o atendimento à população de Xapuri.O motivo é que apenas um profissional vem atuando por dia no Hospital Epaminondas Jácome, sendo obrigado a atender ao mesmo tempo grávidas, casos urgentes e pessoas infectadas pelo coronavírus (Covid-19).

Com apenas um médico, as dificuldades de atendimento aumentam, pois o profissional precisa, muitas vezes, sair do setor de urgência para ir até a área Covid- 19 e voltar, potencializando a possibilidade de contaminação do próprio servidor e dos pacientes que são atendidos no local.

Mesmo sem estrutura para a internação de pessoas acometidas com coronavírus, a Unidade é obrigada a manter as pessoas infectadas por dias até que o setor de regulação do Estado autorize a sua transferência, o que geralmente ocorre quando a situação se agrava e existe a necessidade de intubação, expondo o usuário a um risco de morte ainda maior.

“Com apenas um médico, quando há transferência de paciente, o profissional precisa sair do hospital para realizar todo o acompanhamento, deixando a Unidade completamente desassistida. Isso é um problema que precisa ser resolvido pela Sesacre”, explicou o diretor do Sindmed-AC, Rodrigo Prado.

Existe a expectativa de chamamento de um profissional, com contrato válido até março, mas a quantidade ainda será insuficiente e o tempo de contrato também não oferece segurança.

Raio-x, equipamento que sempre apresentava falhas, foi reparado, mas a manutenção deixou a máquina com pouca resolução de imagem, dificultando o trabalho médico. Os ambientes utilizados para a internação dos pacientes carecem de adequada ventilação e refrigeração.

Outra crítica é a necessidade da construção de um novo prédio, pois o imóvel atual é antigo e não atende mais a necessidade de atendimento da população.