Testagem em massa da população deverá acontecer na segunda quinzena de julho

Cezar Negreiros

A Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) deve receber até a primeira quinzena deste mês (julho) mais um carregamento de testes rápido para testagem em massa da população acreana.   Com a interiorização da doença e o aumento da mortandade, a proposta defendida pelos infectologistas consultados é a ampliação da capacidade de testagem no estado.

Desde o mês passado que o governo do estado já vem ampliando a sua capacidade de testagem na capital e no interior tanto por testes rápidos quanto por RT-PCR.   O Comitê de Prevenção e Contenção da Covid-19 da Universidade Federal do Acre (Ufac) deve lançar nos próximos dias, uma nova   recomendação com as medidas fitossanitárias para auxiliar as autoridades estaduais e municipais nesta fase de retorno das atividades econômicas.

Agora os planos de saúde que operam no estado devem ofertar aos seus usuários o exame de detecção do coronavírus no rol de procedimentos obrigatórios, conforme a Resolução Normativa nº 453/2020,  da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicada recentemente,  no Diário Oficial da União  (DOU).  O teste será coberto para os beneficiários de planos de saúde com segmentação ambulatorial, hospitalar ou referência, após indicação médica, de acordo com o protocolo e as diretrizes estipuladas pelo Ministério da Saúde (MS). 

ANS esclareceu ainda em nota, que a cobertura do tratamento aos pacientes diagnosticados com o covid-19 já é assegurada aos beneficiários de planos de saúde, de acordo com a segmentação de seus planos (ambulatorial, hospitalar).   Afinal, a  capital acreana desponta com Rio Branco 6.772 casos 256 mortes, enquanto Cruzeiro do Sul, com Cruzeiro do Sul  2.041 casos  35 óbitos. Os demais municípios estão assim distribuídos: Acrelândia, com   192 casos e 3 óbitos; Assis Brasil, com 174 e  5 mortes; Brasileia, com 344 casos e  6 óbitos; Bujari, com 178 casos e 3 mortes; Capixaba, com 142 casos e 5 óbitos; Epitaciolândia, com  157 casos e 6 mortes; Feijó, com 222 casos e 5 óbitos;  Mâncio Lima, com 136 casos e 3 mortes; Marechal Thaumaturgo, com  149 casos e 1 óbito; Plácido de Castro, com 284 casos e 6 mortes; Porto Acre, com 265 casos e 6 óbitos; Rodrigues Alves, com  94 casos e 4 mortes, Santa Rosa do Purus, com 149 casos e 2 óbitos; Sena Madureira, com 580 casos e 3 mortes; Senador Guiomard, com 250 casos e 16 óbitos; Tarauacá, com 652 casos e 3 mortes e Xapuri, com 23 casos e  3 mortes.