Subtenente mata sargento dentro do Quartel da Polícia Militar

O crime aconteceu no final da tarde desta quinta-feira (24), dentro da sala de armamento do Quartel Geral da Polícia Militar do Estado do Acre, localizada no centro de Rio Branco.

morto-foto-selmo-melo-7

De acordo com informações o Subtenente Adelmo, que até agosto estava aposentado e foi chamado para reforçar a segurança no estado devido a “onda” de execuções ocorridas na capital e interior, teria assassinado o 2º Sargento Paulo Andrade, com um tiro nas costas que atingiu o coração da vítima.

Intolerância

A motivação para o crime, supostamente tenha sido o mais banal possível dentro da carreira militar.

Segundo foi apurado o Subtenente teria chegado atrasado no Quartel para suas atividades militar e acautelamento de arma e o 2º Sargento Paulo Andrade, que naquele momento estava responsável pelo acautelamento de arma teria informado ao sub tenente que teria que registrar o atraso no livro, em seguida virou de costa para sair da sala, quando o oficial efetuou um tiro de pistola ponto 40 nas costas do colega de farda que atingiu o coração da vítima que teve morte instantânea.

morto-foto-selmo-melo-30

A viatura de suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU foi acionada, mas ao chegar ao local a vítima já estava morta.

Acusado preso

De imediato os demais militares que entravam e saiam de serviço conseguiram deter o subtenente ainda dentro da sala de armamento. Ele foi preso e encaminhado ao Quartel do Batalhão de Operações Especiais – BOPE da Polícia Militar.

Nesse momento o clima ainda é tenso dentro do Quartel Geral da Polícia Militar, pois tanto a vítima, quanto o acusado tem parentes militares.

De acordo com um oficial da ativa que não quis ser identificado, esse crime poderia ter sido evitado, se o militar que estava na reserva, ao ser chamado para combater a violência que a época imperava em Rio Branco, a capital do Acre e interior, tivesse passado por uma avaliação psicológica, mas segundo ele, isso não aconteceu, nem antes, nem durante, tão pouco depois do momento crítico em que os militares foram obrigados a dobrar plantões, sempre sob pressão, pois no mês de agosto, foram mortos membros de facções e policiais militares também.

morto-foto-selmo-melo-31

“Temos que ser operacionais, até mesmo quando já estamos fora de combate, digo reserva, e ninguém se preocupou em fazer uma avaliação psicológica de quem teve que retornar, depois de um período já fora da área operacional. Certamente dirão que todos nos militares somos periodicamente avaliados, o que é uma inverdade. Estamos com militares visivelmente abalados psicologicamente e a única oferta que recebemos é a corregedoria” desabafou.

NOTA DE PESAR

O comandante-geral da Polícia Militar, oficiais, praças e funcionários civis lamentam profundamente a morte prematura e inesperada do sargento da Polícia Militar Paulo Maia de Andrade, de 44 anos, por volta das 18h30 desta quinta-feira, 24. O militar era irmão do tenente RR S. Andrade e da capitã Eliana Andrade, e estava na corporação desde 1994.

O trágico fato ocorreu no interior do Quartel do Comando-Geral, após uma discussão banal, o subtenente José Adelmo Alves dos Santos, 49, efetuou um disparo, pelas costas, que atingiu órgãos vitais do sargento. O Samu foi acionado, mas quando chegou ao local, o óbito já havia ocorrido.

O subtenente Adelmo foi preso em flagrante pelos demais militares de serviço e recolhido ao Quartel do Batalhão de Operações Especiais (Bope), pelo crime militar de homicídio, onde ficará à disposição da justiça. A Corregedoria da PMAC acompanhará o caso com todo o rigor necessário.

A família Policia Militar está de luto, pois o sargento P. Andrade era um militar exemplar e muito querido por todos. Rogamos a Deus que venha confortar a família de sangue, pais, irmãos e demais familiares

Rio Branco-AC, 24 de novembro de 2016.

Júlio César dos Santos – CEL PM
Comandante-Geral da PMAC

 

Selmo Melo