UPA da Sobral realiza ação de conscientização e valorização da vida

Setembro chegou carregando a marca de quase seis meses de quarentena. Em um ano de pandemia, com o isolamento social e as adaptações do que se tornou o “novo” normal, o mês preenchido por campanhas de conscientização, acolhimento e valorização da vida, intitulado Setembro Amarelo, ganha ainda mais força e relevância.

Em alusão à data, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Franco Silva, popularmente conhecida como UPA da Sobral, realizou uma manhã de conscientização, nesta quinta-feira, 10 de setembro – dia que marca a data oficial de Prevenção ao Suicídio, uma das principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo.

Foi ao som de violino, com a entrega de um laço amarelo, símbolo da campanha, que a direção da unidade se reuniu na sala de espera para abordar o assunto com funcionários e também com os poucos pacientes que aguardavam atendimento. Para a diretora da UPA da Sobral, Michela Lemos, a importância da campanha está, antes de tudo, na necessidade de falar abertamente sobre o assunto.

“Desmitificar é salvar vidas. Precisamos falar sobre o tema para que as pessoas não tenham dificuldades em procurar ajuda. A campanha Setembro Amarelo tem como propósito tirar esse peso que é dado ao tema do suicídio, ainda muito cercado de tabu, tornando ainda mais complexa a sua prevenção. Quando a gente traz essa discussão à tona, estamos abrindo as portas e deixando claro que é preciso prevenir e cuidar de quem está sofrendo, com suas emoções abaladas para que isso não seja um gatilho ao impulso de tentar contra a própria vida”, destaca.

A cozinheira Francisca Eloilda Silva, que aguardava o resultado de um exame, parabenizou a iniciativa dos profissionais. “As pessoas preferem ignorar o assunto porque muitos sentem vergonha ou tem preconceito em falar sobre suicídio. É preciso entender que a depressão é uma doença e que precisa ser levada a sério. Quem já passou por isso na família sabe que não é besteira, que não é falta de Deus. O que falta muitas vezes nas pessoas é amor e sensibilidade em entender e ajudar quem está sofrendo. Fico feliz de ver os profissionais da Upa preocupados e preparados para lidar com o tema”, disse a paciente.

De janeiro de 2020 até aqui, segundo a direção da UPA da Sobral, foram 94.302 atendimentos, entre ambulatoriais e emergências. Desse total, cerca de 30% dos casos estão relacionados à saúde mental. Devido à demanda, a unidade passou a oferecer acompanhamento psicológico duas vezes na semana.

A rede pública possui ainda os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Plantão Psicológico no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), e serviços de ambulatório, nas unidades básicas de saúde, que funcionam com equipes multidisciplinares para atender a população. Além disso, ainda é possível entrar em contato com o canal direto do Centro de Valorização da Vida (CVV), através do telefone 180.

Durante a ação em alusão a campanha do Setembro Amarelo, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) também fez a entrega de equipamentos para o laboratório de exames da unidade, sendo três microscópios e dois contadores de células sanguíneas.

Setembro Amarelo

A data foi criada em 2003 pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela Organização Mundial de Saúde, com o objetivo de prevenir o ato do suicídio, por meio da adoção de estratégias pelos governos dos países. A campanha teve início no Brasil, em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatra (ABP).

A história por trás da cor amarela é a da morte de um jovem americano de 17 anos que tirou a própria vida dentro do seu carro, um Mustang amarelo, depois do término de um relacionamento o ter levado à depressão. Seus amigos e familiares distribuíram no funeral cartões com fitas amarelas e mensagem de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero do rapaz. A mensagem Se você precisar, peça ajuda, acabou se espalhando pelo mundo.